Compartilhe!

Seres das profundezas… Advindos dos confins mais fedidos, essas criaturas são evitadas e, por muito tempo, acreditou-se tratarem-se de uma lenda urbana.

Os elfos-do-esgoto são a corruptela máxima da beleza e graciosidade élfica. Surgindo de um acidente arcano-alquímico que deturpou um mago élfico, tornando-o fétido e nojento, essa raça parece ser atraída constantemente para ambientes repugnantes, onde apresentam todo seu potencial… Seja lá qual for ele. Tal conjunto de características rendeu aos elfos do esgoto a alcunha de “Chafurdantes”, entretanto, eles ainda mantêm a arrogância característica dos elfos, por mais inadequado que isso possa ser.

Personalidade: Egocêntricos, amargos e rancorosos, os chafurdantes mostram-se difíceis de lidar, devido a sua constante apatia e tendência a dar chiliques. Buscam compensar suas características menos aprazíveis com um senso de superioridade, que os torna ainda mais desagradáveis.
Por ser uma raça oriunda da academia arcana, esses elfos não tiveram contato com Lenórienn, não sendo afetados pela destruição da mesma e, portanto, podem parecer insensíveis a este assunto. Mas todo elfo do esgoto, sem exceção, deve aprender a lidar com o abandono, já que parece de natureza racial os pais atirarem sua cria fétida à própria sorte nos esgotos.

Aparência: Elfos-do-esgoto tendem a ser mais altos e esguios que humanos, mas sem a graciosidade e traços delicados dos seus primos de orelhas pontudas. Comumente são magérrimos e muito pálidos, concedendo uma aparência doentia e um tanto asquerosa a esses seres, que, além de tudo, apresentam um cheiro acre constante. Mas a característica mais marcante, presente em todos os membros da espécie, são as pupilas brancas, adaptadas para ambientes repugnantes.
O vestuário é, talvez, o ponto que mais distancia o elfo do esgoto dos outros tipos élficos, pois os primeiros não dão importância alguma para vestimenta. A moda chafurdante inclui roupas simples e mal lavadas, peças avulsas de armadura enferrujada e até mesmo roupas compostas inteiramente por trapos sujos.

Relações: Elfos-do-esgoto tem, devido a sua afinidade por sujeira, dificuldade para interagir com qualquer raça. São desprezados por seus primos por não possuírem nenhum traço da “graciosidade élfica”; tratados como lenda urbana ou “monstros”do subterrâneo urbano pela grande parte das raças que habitam grandes centros urbanos; a única que parece ter alguma afinidade são, ironicamente, os goblins.
Goblins abastados costumam tomar um rebento chafurdante mais sociável como ’servo’ até ele ser ’alto demais’ (desculpa mais utilizada para livrar-se do mesmo). Isso faz eles familiarizarem-se com alguns detalhes da cultura goblin. Para a maioria, orgulhosa demais para deixar-se escravizar por famílias goblinoides ou que provaram de senhores ruins e fugiram, encontraram uma semelhança com seus primos da superfície, a raiva por todo goblinoide. Seja qual for o caso, é certo que nenhum elfo-do-esgoto consegue ser indiferente aos pequenos seres verdes.
Raças com narinas sensíveis ou com faro muito apurado tentem a repudiar por completo a presença gosmenta de um elfo-do-esgoto, uma vez que não é possível sentir o cheiro algum caso um deles esteja adjacente ao infeliz farejador.

Tendência: Os chafurdantes conhecem a solidão e o desprezo desde pequenos, isso faz deles extremamente insensíveis, indecisos ou apenas dispostos a retribuir a indiferença. A tendência mais comum entre os elfos-do-esgoto é qualquer Neutra.

Terras dos Elfos-do-Esgoto: Os elfos-do-esgoto são completamente urbanoides, desde suas origens a seus costumes. No entanto, devido a seus costumes “mais fétidos que um goblins sem banho que caiu sobre ovos de kobold”, resta apenas as cavernas, dutos de drenagem e galerias subterrâneas sob as grandes cidades para chamarem de lar.
Presume-se que, apesar da condição solitária da infância, acostumam-se a ausência de outros seres inteligentes e, surpreendentemente, regozijam em viver sozinhos (no máximo, com uma ratazana de estimação) com suas leituras (mesmo que sejam uns exemplares da Gazeta do Reinado, publicados há um ano); uma vez que nunca foi encontrado nenhum tipo de comunidade chafurdante em nenhuma das capitais. Ou, talvez, nunca procuraram tão a fundo…

Religião: A vida cruel de ser ignorado por outras raças parece espelhar o comportamento divino, ignorando os chafurdantes. São raros os devotos de qualquer deus, mas as divindades cujo chafurdantes são mais ligados são Wynna (vista como madrinha de criação), Sszzass, Tenebra, Allihana e o Deus Menor das Cidades.

Idioma: Todo chafurdante, talvez por alguma tradição distorcida, ainda fala élfico (com um forte sotaque). No entanto, a proximidade com goblins ou alguns outros monstros subterrâneos forçam-nos a aprender o idioma goblin ou abissal.

Nomes: Elfos-do-esgoto mantém nomes semelhantes a nomes dos seus primos mais graciosos,
porém mais curtos. O que seria um apelido para um elfo é um nome inteiro de um
elfo-do-esgoto. Exemplos: Félhi, Khinla, Klausk, Malfyn, Razlen, Syrio, Melphillo (masculinos); Tanya, Loria, Nicha, Niele, Soren (femininos).

Aventuras: Elfo-do-esgoto costumam evitar a vida de aventureiro, preferindo chafurdar na calma e silêncio do esgoto; porém os poucos que são mais sociáveis podem acabar, seja por sorte ou esforço, encontrando um grupo que o aceite do jeito que ele é (arrogante e fedido), guindo-os pela superfície e apresentando-os novos locais imundos.
Uma vez encontrado um grupo de aventureiros que o aceite, um elfo-do-esgoto não exitará em protegê-los com unhas e dentes como a família que nunca teve, reflexo dos constantes abandonos sofridos ao longo da vida. No entanto, ele também pode se mostrar muito vingativo e amargo com partes que, ele considera, que o traíram.

Traços Raciais

• +4 Destreza, +2 Inteligência, -2 Carisma. Mantiveram agilidade e capacidades intelectuais de suas contrapartes da superfície, mas fedem. Muito.
• Visão no Escuro (18m). Elfos-do-esgoto enxergam no escuro a até 18 metros devido a suas pupilas brancas, mas apenas em preto e branco. Um elfo-do-esgoto ignora camuflagem (incluindo camuflagem total) por escuridão.
• +4 em testes de Fortitude contra doenças e venenos. Elfos-do-esgoto também não precisam fazer testes de Fortitude por ingerir comida estragada.
• Elfos-do-esgoto também são imunes à magia sono.
• +4 em testes de Percepção. Elfos-do-esgoto possuem sentidos apurados para sobreviver no estéril ambiente subterrâneo urbano.
• Amor a Nojeira*: Em qualquer localidade podre, fétida e/ou cavernosa, 19 natural é considerado crítico; em contra partida, quando o local é limpo, cheiroso e/ou iluminado, 20 natural não é considerado um crítico.
• Fedor: Personagens com Faro têm a área, da habilidade em questão, dobrada para fins de identificam um elfo-do-esgoto.

Talento Racial: Filho da Podridão

Você tornou-se uno com a poluição; aonde você vai, o ar fede, a comida apodrece e a água fica suja.
Pré-Requisito: Elfo do Esgoto, Nível de personagem 10. Carisma 8 ou menor.
Benefício: Quando você acumular experiência o suficiente para subir de nível; em vez disso, você adquire o modelo Criatura da Poluição (Valkaria, Cidade sob a Deusa p. 97).
Especial: O modelo de Criatura da Poluição adquirido por esse talento não possui Descontamindação, ou seja, não pode ser removido utilizando Remover Doença. A única forma de removê-lo é utilizando as magias Desejo ou Milagre.

*Caso achar desbalanceado (ou ter bom senso), opte por “local podre: recebe +4 em todos os testes e roladas” e “local limpo: recebe -4 em todos os testes e roladas”.

Admin Supremo
Um webmaster lvl épico.

Deixe uma resposta