Compartilhe!

O garoto pegou o estranho tomo que seu tio lhe dera, preparou pena e tinteiro e, com as mãos levemente tremulas, escreveu em uma caligrafia fina e vacilante: ”Como funcionas?”
Imediatamente, tinta começou a brotar no papel. Riscos e traços misturavam-se, dançando uns sobre os outros em turbilhões incessantes. Letras formavam-se e andavam sobre a página, embaralhando-se em emaranhados de palavras que não pareciam fazer sentido. Logo então, tais palavras começaram a organizar-se em frases e disporem-se em linhas e parágrafos, formando um arranjo cada vez mais inteligível.
O garoto assistia a cena, queixo caído, como que hipnotizado pelo movimento da tinta, que lentamente ia acalmando-se em sua forma final. Quando finalmente os últimos toques foram dados pela mão invisível, ele pareceu perceber seu estado e fechou a boca. Inclinou-se sobre o livro e, piscando rapidamente, leu:

”Certamente já deves ter ouvido
que não se julga pela capa o livro.
Bem sei que comum eu pareço,
mas segredo algum desconheço.

Diz-me então tua alcunha
e pergunta ou resposta rascunha.
Mostrar-te-ei aquilo que sei,
mas alerto: distinção alguma farei.

Encarrego a ti o veredito
daquilo que em mim foi inscrito.
Registra em mim teu pensamento

e encarregar-me-ei, asseguro,
que ele esteja sempre seguro
no Opúsculo do Conhecimento.”

Sobre o Item

Este livro com capa de couro e folhas em branco poderia passar por um diário comum. Entretanto, qualquer informação escrita em suas páginas é imediatamente absorvida.
Além disso, o dono do livro pode escrever uma pergunta no mesmo, obtendo, dessa forma, a resposta de acordo com as informações previamente armazenadas em seu interior. Não obstante, como este tomo absorve qualquer informação posta nele, suas respostas podem tanto ser fidedignas quanto enganosas, considerando que não há distinção entre as fontes.
Para ser considerado em posse do Opúsculo do Conhecimento, basta riscar o nome do antigo proprietário na parte interna da capa, o que faz com que ele desapareça, e colocar o do novo dono em seu lugar. Da mesma forma, riscar uma informação que aparece no livro faz com que a mesma seja removida, permitindo que revisões sejam feitas.

Regras

TORMENTA
O livro é confeccionado em couro de tirano ocular e flutua levemente.
Ele permite a utilização de todos os Conhecimentos, considerando-os como treinados, com um bônus +12; porém o teste serve apenas para acessar o conhecimento, devendo lembrar-se que nem todas as informações serão confiáveis.
Este é um Artefato com Aura Poderosa.

MUNDO DAS TREVAS
Grimório (Prímero): Maravilha 5 (Arete 3, Correspondência 2) requer Expressão, Ocultimos e Enigmas 3 para ser utilizado.
É necessário um teste de Ocultismo (informação mágicka) ou Enigma (informação mundana) para acessar qualquer informação escrita nele por seus donos antigos (virtualmente qualquer informação permitida pelo Narrador, correta ou não). Porém, uma falha crítica no teste faz com que o livro revele informações por uma estrutura além da compreensão humana, exigindo um teste de Força de Vontade; se bem sucedido, o personagem não poderá agir por alguns minutos tentando processar as informações; se obtiver outra falha crítica, isso lhe custará um ponto permanente em Força de Vontade ou Arete, a critério do Narrador.
Pode ser utilizado por magos de qualquer uma das tradições místickas, excetuando-se Adeptos da Virtualidade e Filhos do Éter. Mortais que o utilizarem podem Despertar.

Bibiano
A narrativa constrói a realidade.

Deixe uma resposta